fbpx

Nossa História

Anne Marina Hicks

George Edwin Hicks Junior*

“…Eis que o semeador saiu a semear. E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho, e, vindo as aves, a comeram. Outra parte caiu em solo rochoso, onde a terra era pouca e logo nasceu, visto não ser profunda a terra. Saindo, porém, o sol, a queimou; e, porque não tinha raiz, secou-se. Outra, enfim, caiu em boa terra e deu fruto: a cem, a sessenta e a trinta por um.” – Mateus 13:3-8.

COMO TUDO COMEÇOU – A Terra Preparada

O SIBIMA (Seminário e Instituto Bíblico Maranata) é um seminário brasileiro, com professores e reitor brasileiros, situado na Rua do Giro em Parangaba, Fortaleza, Ceará.

Como foi que tudo começou? Foi só um sonho de um missionário, Eduardo Knechtel, da União Evangélica Sul América (UESA)?

Realmente começou bem antes! Roberto Kalley era um médico escocês que sentiu o chamado missionário. Foi para a Ilha da Madeira com sua primeira esposa Margaret e viu Deus transformar vidas através da pregação do evangelho e de sua clínica médica. Mas a igreja católica romana não aceitou este escocês que estava transformando a vida na ilha e o expulsou além de todos os seus seguidores. A perseguição era tão ferrenha que ele teve que ser tirado da ilha vestido de mulher, dentro de uma rede como se estivesse doente. Eles foram à Palestina na procura de um clima apropriado para Margaret que tinha a saúde frágil. Ficaram lá até a morte dela.

Dr. Kalley tratou de outro doente, enquanto lá. Este estava acompanhado da mãe e da irmã. Veio a falecer, mas Dr. Kalley casou mais tarde na Inglaterra com a irmã dele, Sara. Dava assistência aos crentes expulsos da Ilha da Madeira nos Estados Unidos. Lá, ouviram das tentativas de evangelizar no Brasil e Deus os chamou para ajudar. Eles vieram para o Brasil em 1855 onde se estabeleceram no Rio de Janeiro. Com o passar do tempo e com o reconhecimento de ser um bom médico, logo foi estabelecido como médico particular de Dom Pedro II. Com este reconhecimento, começou a abertura para o evangelho no Brasil. Logo foi concedida para sua esposa Sara a permissão do imperador para começar uma Escola Bíblica Dominical em Petrópolis. Em 1858 o casal Kalley organizou a primeira igreja evangélica na cidade do Rio de Janeiro com quatorze membros. Esta igreja ainda existe como a Igreja Fluminense.

Após isso, vieram várias missões ao Brasil, mas funcionavam com muita dificuldade. Em 1911, com a ajuda de Sara Kalley, duas missões (The South American Evangelization Mission e Regions Beyond Missionary Union) juntaram as mãos para formar uma missão mais eficaz, a União Evangélica Sul América (UESA). Em 1913 a missão Help for Brazil Mission se uniu a elas.

Com o passar do tempo esta missão, com sede em Inglaterra, cresceu e plantou igrejas aqui no Brasil, não só no Rio de Janeiro, mas também em São Paulo, Goiás, Pernambuco, Paraíba além de outros países da América do Sul. No início da década de 20, alguns missionários norte- americanos começaram a se interessar pelo Brasil e foi aberto um escritório daquela missão nos Estados Unidos. Mas com isto apareceram diferenças em filosofia logística e doutrinária. Então, em 1934 a UESA se dividiu em UESA Britânica e UESA Norte Americana. Os campos foram divididos. Os ingleses foram para Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás, Pernambuco e Paraíba. Os norte-americanos foram para os novos campos do Ceará e Amazonas, áreas consideradas mais difíceis por causa do clima.

Quando começou o trabalho missionário no Ceará foi consultado um pastor presbiteriano em Fortaleza e resolvido que os missionários da UESA se dedicariam a plantar igrejas ao longo da linha do trem de Fortaleza a Crateús e os presbiterianos iriam plantar igrejas do leste do estado. E Deus abençoou os esforços com igrejas plantadas de Fortaleza até lá.

Como não havia um seminário no Ceará, os missionários mandavam seus líderes em potencial para os seminários em Recife e Anápolis para se prepararem para o ministério. O resultado era que, depois de sair do Ceará e ver o resto do Brasil, a maioria não voltava.

Foi desta missão e situação que veio o sonho de Edward (Ted) Knechtel.

COMO TUDO COMEÇOU – A Semente Semeada

O casal Knechtel veio separadamente ao Brasil em 1934, conheceram-se na Paraíba e, após chegarem ao Ceará em 1936, casaram- se em Maranguape em junho daquele ano. Trabalharam no bairro Mucuripe por três meses enquanto a diretoria regional decidia onde coloca-los. Instalaram-se em Ipu e o Pr. Eduardo viajava a pé, a cavalo e de trem, visitando as fazendas e povoados, fazendo amizades e evangelizando sertanejos e serranos, igualmente. O trabalho era árduo e o sustento pouco para as tantas necessidades que viam.

Em 1945, no final da II Guerra Mundial, a D. Dórothy Knechtel descobriu que estava com tuberculose e foi mandada de volta aos Estados Unidos com os três filhos do casal. Pr. Eduardo teve que esperar cinco meses para ser reunido com a família porque não havia espaço no avião militar que levou a família até Flórida.

A D. Dórothy ficou internada por um período de tempo numa casa de repouso no Canadá e depois a família passou mais um tempo com os pais do Pr. Eduardo. Quando puderam voltar para o Brasil em 1947, o médico recomendou que eles não voltassem para o rigor da vida no sertão devido à saúde dela.

A diretoria da missão decidiu que o casal permaneceria em Fortaleza, dando suporte e assistência aos missionários no interior do estado. Eles mantinham a casa de apoio, comprando e mandando mantimentos e remédios, por trem, aos colegas espalhados pelo sertão. Recebiam aqueles que chegavam, nunca sabendo quantos iam almoçar ou jantar com eles em dado dia. Os filhos estudavam por correspondência com a supervisão da D. Dórothy e ela gerenciava a operação da casa.

O casal deu-se ao ministério, mas o coração deles estava no interior. Queriam ainda ter participação na evangelização e no discipulado dos crentes amados, mas como? Pediram a Deus que lhes desse um ministério especial em Fortaleza.Todo dia eles viam os alunos indo e vindo dos colégios da vizinhança, cada um no uniforme do seu colégio. Isso tocou  o coração da D. Dórothy e ela sugeriu ao Pr. Eduardo a possibilidade de começar uma escola noturna para os crentes leigos da cidade para ajudá-los a servir melhor nas suas igrejas. A idéia vibrou no coração do Pr. Eduardo com a certeza que isto era a vontade de Deus. Ele preparou o programa e iniciaram o Instituto Bíblico Noturno de Fortaleza em 1949, na sala de sua residência na atual Rua Monsenhor Tabosa.

COMO TUDO COMEÇOU – A Safra

No segundo ano algumas mulheres pediam para estudar e a Dórothy começou a ensinar um curso em Evangelismo de Crianças. Assim o instituto cresceu até ter 35 alunos. Não dava mais para comportá-los na sala de sua casa. A Igreja Presbiteriana ofereceu uma sala nas dependências de sua igreja na Rua Conde D’Eu. Mais tarde eles dariam aulas nas dependências da Igreja Cristã Evangélica Fortalezense, à Rua Monsenhor Tabosa.

COMO TUDO COMEÇOU – Outro Campo

Até este ponto o Instituto não tinha o propósito de preparar pastores. O propósito era ajudar leigos, professores da Escola Dominical, etc. para melhor servirem nas suas igreja. Então, os missionários sentiram a necessidade de um seminário residencial para preparar pastores. E em 1959, no município de Nova Russas, num lugar chamado Pitombeiras, nasceu o Instituto Bíblico Rural. No ano seguinte o nome foi mudado para Instituto Bíblico Maranata. Em 1963 o Sítio Maranata, em Messejana (distrito de Fortaleza) foi comprado pela missão para ser usado como sede sua e para servir de acampamentos para as igrejas. Logo depois, por causa da dificuldade de acesso a Pitombeiras, o Instituto Bíblico Maranata mudou-se para o Sítio Maranata, continuando como uma escola residencial.

Em 1968 tornou-se necessário fechar o Instituto Bíblico Maranata (residencial). Então, os alunos que podiam achar lugar para morar em Fortaleza juntaram-se aos alunos do Instituto Bíblico Noturno de Fortaleza e o nome foi mudado para Instituto Bíblico Maranata.

CRESCIMENTO – os Prédios

Em 1955 a UESA abriu uma livraria evangélica, a primeira livraria evangélica em Fortaleza, num prédio alugado na Rua 24 de Maio. O Instituto Bíblico Noturno de Fortaleza mudou-se para o fundo das dependências da Livraria Evangélica onde ficou até que, em 1974, a missão comprou o prédio na Rua Senador Pompeu, 724.

Em 1974, quando Pr. Eduardo completou 70 anos de idade, o casal Knechtel se aposentou do Brasil e voltaram aos Estados Unidos, morando em Chattanooga, Tennessee, numa casa providenciada pelo filho Carleton.

O Pr. (George) Aubrey Clark tornou-se o novo Reitor do SIBIMA. Ele já era professor. Ele aumentou as aulas de duas noites para três noites por semana. Também, neste tempo o nome foi mudado de Instituto Bíblico Maranata para Seminário e Instituto Bíblico Maranata (SIBIMA). Devido a problemas com doença, ele deixou o cargo em 1981, embora continuasse a ensinar e o Pr. George Edwin Hicks Junior foi nomeado Reitor do Instituto, assumindo a posição em 1982, após uma temporada de divulgação nos Estados Unidos.

O SIBIMA cresceu e ficou grande demais para as dependências disponíveis. Com muito temor, a diretoria resolveu demolir todas as dependências e construir um prédio de três pavimentos para ser o novo lar do seminário. Isso aconteceu em 1983-1984 e a inauguração do novo prédio no dia 30 de junho de 1984 contou com a presença do Pr. Eduardo e D. Dórothy.

O SIBIMA continuou a crescer e logo mais o auditório tornou-se pequeno para qualquer evento, além dos cultos normais dos alunos. Havia alunos das Igrejas Cristãs Evangélicas, das Igrejas Bíblicas, das Igrejas Batistas, das Igrejas Presbiterianas, das Igrejas Congregacionais e outras.

CRESCIMENTO – o Bacharelado (Curso Livre)

Durante esse tempo de crescimento e construção sentimos a necessidade de um seminário que pudesse oferecer um Bacharelado (curso livre) e assim dar mais credibilidade aos pastores formados pelo SIBIMA. O problema era: Onde íamos conseguir professores qualificados em número suficiente? Foi nesse impasse que aconteceu um encontro casual (planejado por Deus) entre Pr. Joe Goossen e Pr. Edgar Lieb nos Correios, no centro de Fortaleza. O Pr. Edgar comentou sobre os pensamentos da Brazil Gospel Fellowship Mission (BGFM) de abrir um instituto bíblico em Fortaleza. O Pr. Joe pegou o pensamento no ar e perguntou: Por que não juntamos as forças para tornar o SIBIMA um seminário que possa oferecer disciplinas de nível superior em Bíblia e Educação Cristã?

As duas missões estudaram as possibilidades e oraram muito e a resposta foi: Sim, podemos! Foi assim que, em 1985, as duas missões iniciaram a sua cooperação no SIBIMA, servindo juntas na diretoria e no corpo docente. Assim puderam oferecer disciplinas de Bacharelado em Ciências Pastorais e Educação Cristã.

Em 1999 Pr. George e D. Ana foram aos Estados Unidos para seu ano de divulgação e Pr. Felipe Stucky assumiu a posição de Reitor Interino, que em 2000, foi nomeado o Reitor, com Pr. Jenuan Silva Lira como Vice-Reitor e Pr. George como Diretor Administrativo. Isso continuou até 2004 quando Pr. Felipe deixou o cargo para continuar com sua paixão em Cristo, a plantação de igrejas. Pr. Jenuan assumiu a Reitoria.

CRESCIMENTO – Autonomia

Estava na hora do SIBIMA abrir suas asas e voar sozinho. Até agora, funcionara como filial da UESA, com a cooperação da SEB, a entidade brasileira da Brazil Gospel Fellowship Mission. Muita oração e estudo abriram o caminho para a desvinculação do SIBIMA da UESA e sua autonomia como entidade de ensino religioso, o que se deu em 2008.

Foi então, no meio de 2008, que Pr. Jenuan tomou a decisão dificílima de deixar sua posição como Reitor para se dedicar à Igreja Bíblica Batista do Planalto e à nova missão, Ministérios Multiculturais Maranata, da qual ele era o fundador. O Pr. Adil Bispo Reis, um professor querido e deão de alunos, foi indicado para assumir o cargo e aceitou graciosamente, tornando-se o sexto Reitor do Seminário e Instituto Bíblico Maranata.

UMA MUDANÇA BRUSCA – o Incêndio

Durante vários anos a ideia de mudar-se do centro de Fortaleza vinha à tona cada vez que alguém era roubado no caminho ao seminário ou para casa. A pergunta principal era: Para onde? Ficar no Centro?

Certamente seria mais fácil para os que vinham de ônibus ou de trem. A diretoria do seminário reconhecia a necessidade de pensar em mudar e a questão de espaço e segurança pesava após vários arrombamentos. O que Deus queria?

Cedo no dia 22 de dezembro de 2007, Deus respondeu uma parte da pergunta. O prédio ao lado do SIBIMA pegou fogo e se alastrou rapidamente, afetando a estrutura do SIBIMA de tal maneira que não era mais seguro manter o funcionamento do seminário ali. O que fazer? Deus queria que mudássemos, mas para onde?

Deus tocou no coração do pastor e da diretoria da Igreja Batista da Fé em Montese para oferecer ao SIBIMA o uso das dependências da igreja por um semestre, e mais um semestre, enquanto descobrimos a vontade de Deus referente a um novo lar. Agradecemos de todo coração.

Muitas pessoas ajudaram na procura por outro prédio em várias áreas da cidade. Tornou-se o consenso entre os membros da diretoria que o bairro de Parangaba seria tão central para os usuários do ônibus e trem quanto o próprio Centro da cidade. O terminal de ônibus e a estação de trem ficavam bem próximos um ao outro e portanto a busca focalizava naquela área.

Durante esse período, o prédio do SIBIMA no Centro foi vendido por um preço bem abaixo da soma esperada devido aos danos causados pelo incêndio. Onde poderíamos conseguir outro lugar com as mesmas características sem entrar em dívida?

Meses se passaram e várias possibilidades foram exploradas até que apareceu, no tempo e na vontade de Deus, a possibilidade de comprar um prédio em Parangaba – dois quarteirões do terminal de ônibus e do trem. Era exatamente na área visualizada.

Havia um, porém – será que o dinheiro que sobrara da compra seria suficiente para reformar o prédio antigo e construir um anexo para instalar a biblioteca e mais três salas de aula?

Após muitas reuniões e orações, a decisão foi tomada para iniciar a reforma, seguindo a planta preparada por uma firma de engenharia local. O reitor, Pr. Adil Bispo dos Reis, encarregou-se de supervisionar a obra e teve a boa idéia de registrar em fotos o progresso da mesma. As fotos mostram a transformação de uma casa abandonada e suja em um formigueiro de obras de limpeza, mudança de paredes, escavação de buracos para as colunas e a preparação de escritórios e banheiros amplos e bem equipados.

Deus tocou no coração de duas pessoas, pintores profissionais, para oferecerem os seus serviços e liderarem uma equipe para pintar o prédio reformado. Assim, os escritórios já poderiam ser mobiliados e começar a funcionar.

Em 2009, o SIBIMA retardou o início das aulas até o dia 16 de março para dar o máximo de tempo aos operários que se esforçavam muito para terminar a construção nesse prazo. E, naquele dia, o culto de abertura foi realizado numa área coberta e preparada para aquela ocasião. Havia somente um banheiro pronto, mas que bênção foi esse culto.

As obras continuaram até o dia 24 de abril, com a conclusão da biblioteca e o preparo das salas a serem terminadas no tempo devido. Em 2011, o pastor Adil, atual reitor aceitou o convite para pastorear uma Igreja Batista Regular na Bahia. Nessa ocasião, o Pr . João Alves assumiu a reitoria. O ano de 2011 foi um ano de desafios e adaptações. Um multirão foi realizado por membros de várias Igrejas e dessa forma melhoramentos foram feitos nas instalações do SIBIMA.

Em 2012, o Pr. João Alves iniciou uma congregação da Igreja Bíblica Batista do Planalto nas dependências do SIBIMA. O culto de abertura foi no dia 04 de janeiro.

Em 2016, o SIBIMA deu início ao Instituto Aubrey Clark, a sua escola de pós-graduação em teologia, oferecendo mestrados nas áreas de Aconselhamento Bíblico e em Teologia Sistemática. Também iniciou-se uma parceria com Grace Bible Church para a implementação do Centro de Estudos Islâmicos para o treinamento de missionários ao mundo islâmico. Nessa época, o Deão Acadêmico dr. Valberth Veras e o Reitor, pr. João Alves viajam aos Estados Unidos para desafiarem os irmãos da Grace Bible Church para a necessidade de investimento na preparação de obreiros no Brasil. E até hoje, o SIBIMA tem sido abençoado por meio dessa parceria.

Em 2017, reformulamos o currículo visando tornar o curso mais acessível financeiramente e logisticamente para nossos alunos. Em 2019, chegaremos aos 70 anos com grande alegria na graça de Deus por nós.

As obras continuam no SIBIMA à medida que Deus supre as finanças para fazê-las, mas o SIBIMA está em pleno funcionamento com um bom grupo de alunos que demonstram grande ânimo e alegria em estudar a Palavra de Deus.

Que o novo LAR do SIBIMA seja muito abençoado e permaneça por muitos anos, fazendo o que seu fundador esperou – preparando homens e mulheres para levar o Evangelho de Cristo até aos confins da Terra.