POSIÇÃO DOUTRINÁRIA

AS SANTAS ESCRITURAS

Cremos que os 66 (sessenta e seis) livros das Santas Escrituras, tanto do Velho quanto do Novo Testamento, são a Palavra de Deus infalível e são inspirados pelo Espírito Santo verbal e plenariamente. São inerrantes nos manuscritos originais e, a autoridade final em matéria de fé e prática (II Tim. 3:16-17; II Pedro 1:21).

A TRINDADE.

Cremos no Deus trino – Pai, Filho e Espírito Santo, co-eterno em Seu ser, co-idêntico na Sua natureza, co-igual no Seu poder e glória, tendo os mesmos atributos e perfeição (Mat. 3:16-17; 28:18-19; II Cor. 13:14; Gal. 4:6-7; Heb. 9:14; I João 2:22-23).

A PESSOA E A OBRA DE CRISTO.

  1. Cremos que o Senhor Jesus Cristo, o eterno Filho de Deus, tornou-se homem sem deixar de ser Deus, foi gerado pelo Espírito Santo e nascido de uma virgem, em cumprimento profético, para revelar o Deus único, eterno e verdadeiro, e veio redimir os homens pecadores para levá-los ao lar celestial (Isa. 7:14; 9:6; Mat. 1:20-23; Lucas 1:35; João 1:1-2; 1:14).
  2. Cremos que o Senhor Jesus Cristo é verdadeiramente Deus, a imagem exata do Pai invisível, aquele por quem e para quem foram criadas todas as coisas e por quem tudo subsiste. (João 1:1-3,14; Col. 1:15-17; Heb. 1:3).
  3. Cremos que o Senhor Jesus Cristo viveu uma vida sem pecado, e fez a nossa redenção por Sua morte na cruz como sacrifício representativo e vicário; e que a nossa justificação é assegurada por Sua ressurreição física e literal de entre os mortos (Mat. 28:6,7; Rom. 3:24,25; I Cor. 15:4_8; Efe. 1:7; Heb. 2:9; 4:15; I Ped. 1:3-5;2:24; 3:18).
  4. Cremos que o Senhor Jesus Cristo subiu ao céu e agora está exaltado à destra de Deus, de onde, como Sumo Sacerdote, Ele cumpre o ministério de Representante, Intercessor e Advogado (Atos 1:9-11; Rom. 8:34; Heb. 7:25; 9:24 I João 2:1,2).
  5. Cremos que o Senhor Jesus Cristo, pessoal e iminentemente, virá buscar Seus redimidos, a igreja, nos ares, antes da Grande Tribulação e que subseqüentemente voltará a terra com Seus santos para estabelecer o Seu reino milenar (Zac. 14:4-11; João 14:3; I Cor. 15:51-52; I Tes. 1:10; 4:13-18; Tito 2:13; Apoc. 3:10; 19:11-16; 20:1-4).

A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO

  1. Cremos que o Espírito Santo é uma pessoa. Ele convence o mundo, do pecado, da justiça e do juízo, e que é o agente sobrenatural na regeneração, batizando todos os crentes no corpo de Cristo no momento em que O aceitam como Senhor, e habita neles selando-os até o dia da redenção (João 14:16,17; 16:6-11; Rom. 8:9; I Cor. 12:12-14; II Cor. 3:6; Efes. 1:13,14).
  2. Cremos que o Espírito Santo é o divino instrutor que habita em cada crente para santificá-lo, iluminá-lo, guiá-lo em toda a verdade, e é o autor da força dos crentes no testemunho, no serviço e no viver uma vida separada e santificada; e que é privilégio e responsabilidade de todos os crentes serem cheios do Espírito Santo (João 16:13; Gal. 5:16; Ef. 5:18; I João 2:20).

CRIAÇÃO

  1. Cremos que a criação do mundo foi um ato instantâneo e sobrenatural de Deus, por Sua palavra e do nada, pelo qual Ele trouxe à existência o universo e todo o seu conteúdo em 6 (seis) dias sucessivos de 24 (vinte e quatro) horas, pela mediação de Jesus Cristo e a operação do Espírito Santo.
  2. Cremos que o registro do livro de Gênesis, desde o primeiro ao último versículo, é histórico e verídico e que podemos confiar. (Gên. 1:2.26.27,31; 2:7; Êx. 20:9-11; Col. 1:16; I Tes. 5:23)

A DEPRAVAÇÃO TOTAL DO HOMEM

Cremos que o homem foi criado à semelhança de Deus, mas no pecado de Adão a raça humana caiu e herdou uma natureza pecaminosa que passou a ser separada de Deus; e que o homem é totalmente depravado (corpo alma e espírito), sendo absolutamente incapaz, em si mesmo, de remediar seu estado de perdição (Gên. 1:26-27; 3; Rom. 1:21- 23; 3:22-23; 5:12,31; Ef. 2:1-3,12; Sal. 51:5; Is. 64:6).

SALVAÇÃO

Cremos que a salvação é um dom de Deus, trazida ao homem pela graça, e recebida pela fé na pessoa e obra do Senhor Jesus Cristo, que derramou Seu precioso sangue na cruz do Calvário, para o perdão dos pecados e a reconciliação com Deus de todos aqueles que, arrependidos O invoquem (João 1:12; Rom. 3:24-26; 5:9; Ef. 1:7; 2:8-10; Tito 3:5; IPed. 1:18-21).

A SEGURANÇA ETERNA DOS CRENTES

  1. Cremos que todos os remidos, uma vez salvos, são guardados pelo poder de Deus e consequentemente estão seguros, tanto nas mãos do Pai quanto nas do Filho, eternamente (João 6:37- 40; 10:26-30; Rom. 8:1,38-39; I Cor. 1:4-8; I Ped. 1:5).
  2. Cremos que é privilégio dos crentes regozijarem-se na segurança da sua salvação, pelo testemunho da Palavra de Deus, a qual, claramente proíbe o uso da liberdade cristã para dar ocasião à carne. (Rom. 13;13-14; Gal. 5:13; Tito 2:11-15)

AS DUAS NATUREZAS DO CRENTE

Cremos que cada crente possui duas naturezas com provisão feita para a vitória da nova natureza sobre a velha, pelo poder do Espírito Santo que habita no crente em Cristo; e que todas as alegações da erradicação da natureza velha nesta vida são contrárias às Escrituras (Rom. 6:13; 8:12,13; Gal. 5:16-25; Ef. 4:22-24; Col. 3:10; I Ped. 1:14-16;I João 3:5-9).

 SEPARAÇÃO

Cremos que todos os crentes devem viver de modo que não escandalize o nome de seu Salvador e Senhor; e que Deus requer separação de toda apostasia religiosa e dos prazeres, práticas, a associações mundanas e pecaminosas. (Rom. 12:1,2; 14:13; II Cor. 6:14- 18; II Tim 3:1-5; I João 2:15-17; II João 9-11)

MISSÕES

Cremos que é obrigação dos crentes dá testemunho, pela vida e pela palavra, por meio das verdades das Santas Escrituras e que devem espalhar o Evangelho a todos os homens, bem como sustentar em oração e financeiramente a obra de Deus (Mat. 28:18-20; Marcos 16:15; Atos 1:8; II Cor. 5:19-20).

OS DONS ESPIRITUAIS

  1. Cremos que Cristo foi assunto ao céu e distribuiu dons aos Seus servos através da soberana vontade do Espírito Santo para a edificação, aperfeiçoamento e unidade do corpo de Cristo (Rom. 12:6-8; I Cor. 12:4-11; Ef. 4:7-12).
  2. Cremos que os dons de falar línguas, revelação, operação de milagres e curas são desnecessários e gradualmente cessaram enquanto as Escrituras do Novo Testamento se completaram e sua autoridade foi estabelecida como final (II Cor. 12:12; Ef. 4:7-12).

A IGREJA

  1. Cremos que a igreja, a qual é o corpo de Cristo, é um organismo vivo, constituído de todas as pessoas regeneradas durante a presente dispensação (I Cor. 12:12_14; II Cor. 11:2; Ef. 1:28,29; 3:25-27).
  2. Cremos que o Novo Testamento claramente ensina e define o estabelecimento e continuação de igrejas locais e autônomas (Atos 14:27; 20:17,28-30; I Tim. 3:1-13; Tito 1:3-11).

ORDENANÇAS

  1. Cremos que todos os crentes devem ser batizados para dar testemunho de obediência, da sua identificação com Cristo e com o povo d’Ele; e o modo do batismo deve ser pela imersão, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo; e que o batismo infantil é contrário às Escrituras (Mat. 28:18; Atos 8:36,37, 10:48; 18:8; Rom. 6:3-5).
  2. Cremos que o Senhor Jesus Cristo instituiu a Ceia para ser celebrada pelos crentes como um memorial e anúncio do Seu sacrifício vicário. E que os elementos da Ceia simbolizam o corpo e o sangue de Jesus Cristo (Mat. 26:26-28; I Cor. 11:23- 34).

SATANÁS

Cremos que Satanás é uma pessoa, o autor do pecado e a causa da queda do homem; que é potente inimigo de Deus e da Sua criação, e que será punido eternamente no lago de fogo (Isa. 14:12-17; Mat. 4:2-11; 25- 41; João1:6,7; Apoc.20:10).

O ESTADO ETERNO

  1. Cremos na ressurreição corporal de todos os homens; os salvos para a vida eterna e os perdidos para a eterna punição (Mat. 25:46; João 5:28,29; 11:25,26; Apoc. 20:5,6,12,13).
  2. Cremos que as almas dos salvos, na morte, são ausentes do corpo e presentes com o Senhor, onde, em felicidade cônscia, esperam a primeira ressurreição, quando alma e corpo serão unidos e glorificados eternamente com o Senhor (Lucas 23:43; II Cor. 5:8; Fil. 1:23; 3:21; I Tess. 4:16,17; Apoc. 20:4- 6).

Cremos que as almas dos descrentes, na morte, existem na miséria cônscia, até a segunda ressurreição, quando alma e corpo serão reunidos e aparecerão perante o grande trono branco para serem julgados e depois lançados no lago de fogo para sofrer punição eterna e cônscia (Mat. 24:41-46; Mar. 9:43-48; Lucas 16:19-26; II Tes. 1:7-9; Judas 6,7; Apoc. 20:11-15).